O dono da marca de refrigerantes Dolly afirma que o homem responsável pela contabilidade da empresa falsificou documentos e sonegou impostos.

Segundo Laerte Codonho, os desvios passam de 100 milhões de reais.

As engarrafadoras da empresa foram alvo, na semana passada, de uma operação deflagrada pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo por suspeita de fraude.

Laerte Codonho afirma, no entanto, que a Dolly acreditava que os impostos estavam sendo pagos pelo escritório de contabilidade.

O principal sócio da RD Assessoria Contábil, responsável pela contabilidade da empresa, é Rogério Raucci, e seria o maior responsável pelas fraudes.

Laerte Codonho diz que há vários indícios de enriquecimento dele nos últimos anos.

O dono da marca Dolly diz que fez um acordo com a Procuradoria do Estado e, a segunda-feira, fez o pagamento do valor devido de impostos, com multas.

Laerte Codonho afirma que a empresa vai entrar na Justiça para pedir os valores extras de volta.

Uma das unidades da Dolly, que tinha sido fechada durante a operação da semana passada, voltou a funcionar após o pagamento.

Rogério Raucci não foi encontrado; o sócio dele fez uma delação ao Ministério Público Estadual admitindo o desvio de 7 milhões de reais, tendo devolvido 5 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome