Pai da comissária Madalena, Roberto Silva se mudou para São Paulo e hoje tem vista para Congonhas (Arquivo Pessoal)

Parentes das vítimas do acidente com o voo 3054 da TAM, em 2007, tentaram, nos últimos dez anos, reconstruir a vida. Roberto Silva, pai da comissária Madalena, que morava em Dois Irmãos (RS), se mudou com a família para São Paulo, e hoje tem, de casa, vista para o Aeroporto de Congonhas e para o Memorial 17 de Julho, feito em homenagem às vítimas. A mulher dele se cadastrou como voluntária da Cruz Vermelha e passou a ajudar outras pessoas.

Dário Scott, que perdeu a filha de 14 anos, decidiu ampliar a família – ele e a mulher, Ana, têm gêmeos de 6 anos. Sílvia Marchesan, mãe de Paula, que na época tinha 23 anos, se tornou responsável pela realização de eventos no memorial e diz que, para os familiares, o espaço é considerado “sagrado”.


Aiana Freitas

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome