Com a possibilidade da anulação das delações da JBS, os executivos ligados ao grupo podem se ver obrigados a aceitar uma nova proposta.

Para manter parte do acordo, a Procuradoria-Geral da República (PGR) ofereceu à Ricardo Saud e aos irmãos Joesley e Wesley Batista um acordo que prevê a prisão dos criminosos.

Os delatores ligados à JBS ficariam presos por pelo menos cinco anos, em regime fechado, sem progressão da pena para regimes mais brandos.

A informação é da colunista da Rádio BandNews FM Mônica Bergamo.

A prisão de Wesley Batista, na manhã desta quarta-feira (13), mostra que o “cerco” à família Batista está se fechando cada vez mais.

Segundo a jornalista, Joesley e Wesley não têm mais alternativas para salvar o acordo de delação premiada que previa imunidade total aos empresários.

Outra estratégia que pode ser adotada pelos irmãos Batista é anular todas as provas entregues até o momento para a PGR.

Seria uma medida para conter os danos, visto que os documentos e gravações entregues pelos empresários agora podem ser usados contra eles próprios

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome