A ideia é fugir das filas nas unidades básicas de saúde da região, desde que foi detectada a morte de um macaco por febre amarela silvestre no Horto Florestal.

A Prefeitura vai ampliar, a partir de (amanhã), de 8 para 33 o número de UBS abertas para a vacinação preventiva contra a doença.

A troca de informações entre os vizinhos tem surtido efeito em busca da vacina contra a febre amarela.

O marceneiro André Amorim já sabe o que precisa para tomar a dose na zona norte da Capital Paulista.

Desde o fim da semana passada, quem vive próximo ao Parque Horto Florestal, onde foi detectada a morte de um macaco por febre amarela silvestre, está preocupado.

É o caso da vendedora Maricéia Costa, que tem um filho, que estuda num colégio localizado na mesma rua onde foi encontrado o animal infectado.

Na tentativa de diminuir as filas, a Prefeitura vai ampliar, a partir desta quarta-feira, para 33 o número de UBS abertas para a vacinação preventiva contra a doença.

Neste primeiro momento, a imunização contra a febre amarela é indicada para quem mora nas regiões da Casa Verde, Cachoeirinha e Tremembé, ou seja, vizinhos ao Horto.

A coordenadora de imunização da Secretaria Municipal da Saúde Maria Ligia Nerger explica que a população será comunicada diariamente sobre os novos postos de vacinação.

A expectativa da Prefeitura é vacinar 500 mil pessoas neste primeiro momento, até chegar a 2,5 milhões.

A dose contra a febre amarela não está indicada para gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e pessoas imunodeprimidas, como pacientes em tratamento quimioterápico.

De São Paulo, Elaine Freires

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome