O juiz Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato em Curitiba, volta a defender o fim do foro privilegiado para autoridades, inclusive para magistrados.

Ele afirma que a proteção excessiva fere o princípio de que todos são iguais perante a Justiça. Na avaliação do juiz federal, esse é um “diagnóstico relativamente óbvio”. Para Sérgio Moro, o foro teria que ser eliminado ou pelo menos reduzido drasticamente:

A proposta que restringe o foro privilegiado está sendo analisada pelo Congresso Nacional.

Moro também elogiou a decisão do Supremo de 2016 que permitiu a prisão de pessoas condenadas em segunda instância.

Nesta segunda-feira, o ministro do STF Gilmar Mendes defendeu que a Corte reveja a própria determinação.

Sérgio Moro disse que seria um grande “retrocesso” uma eventual mudança de postura do Supremo.

Sérgio Moro ainda disse que a Polícia Federal precisa ser fortalecida com recursos humanos e financeiros.

Segundo ele, isso seria um investimento já que o trabalho da corporação costuma recuperar para os cofres públicos dinheiro desviado por atos de corrupção.

O juiz recebeu nesta terça-feira o prêmio de “Brasileiro do Ano”, em evento promovido em São Paulo pela revista IstoÉ

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome