A polícia de São Paulo procura por dois homens suspeitos de comandarem bingos clandestinos na capital paulista.

Segundo o Ministério Público, o esquema de propinas para a operação das atividades ilegais movimentou 25 milhões de reais.

Três policiais militares, incluindo um capitão da ativa e um coronel, foram presos ontem durante uma operação contra as casas clandestinas na capital.

A investigação apontou que eles recebiam dinheiro para manter o funcionamento dos jogos de azar.

Segundo o subprocurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, os PMs ainda ficavam responsáveis pela segurança dos locais:

No total, 35 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em 15 endereços de áreas nobres da cidade, a maioria na zona sul.

Mais de mil máquinas acabaram apreendidas e serão destruídas.

O coronel da reserva Luís Flaviano Furtado, passou por uma audiência de custódia e vai responder ao processo em liberdade.

Outros detidos tiveram a prisão temporária decretada.

A investigação, que teve início em 2013, também apura a participação de policiais civis no esquema.

Os estabelecimentos foram lacrados e os donos dos bingos estão sendo procurados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome