Destruição de patrimônio público, uso de drogas, brigas, violência e até sexo.

É isso o que os moradores da região de Paraisópolis encontram nas madrugadas de pancadão dentro dos ônibus que fazem as linhas que passam pela comunidade da zona sul da capital paulista.

E a falta de atenção do poder público é tão grande que alguns coletivos circulam com escolta.

Procuradas, a Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública do estado ainda não se manifestaram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome