A vida continua normal em Damasco, na Síria, pouco mais de 24 horas após os bombardeios de Estados Unidos, Reino Unido e França contra instalações militares. O relato é dono país Achilles Zaluar Neto.

Em entrevista à Rádio BandNews FM diretamente da capital síria, Zaluar Neto conta que nesta domingo (15), o primeiro dia útil no país depois dos ataques da coalizão internacional e que as pessoas foram trabalhar e estudar normalmente.

Defesas antiaéreas em Damasco, capital síria. (Foto: Hassan Ammar/AP)

O diplomata diz que cerca de 1.000 brasileiros moram na Síria e estão fora de áreas de risco. Segundo ele, somente o povoado de Yarmuk, nos subúrbios de Damasco, está sob o controle do Estado Islâmico.

Encarregado dos negócios brasileiros na Síria, Zaluar Neto conta que, quando chegou ao país em 2015, a situação era muito pior, com a maior parte do território em poder de grupos armados.

O cenário mudou com a entrada da Rússia para ajudar o regime de Bashar al-Assad na Guerra Civil, iniciada em 2011.  Ele diz que o sentimento da população é de cansaço em relação aos conflitos e que todos só querem a paz, independentemente de como se dará o desfecho.

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá! Gostaria de fazer uma pergunta para Ricardo Boechat.Porque o nome de Alavaro Dias, não aparece na relação das pesquisas para presidente da República?

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome