A Polícia Civil confirma para o início de maio a reconstituição do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Segundo o secretário de segurança do Rio, general Richard Nunes, a reconstituição vai ajudar a compreender o crime e a entender as diferentes versões das testemunhas que deram informações do caso pelo Disque Denúncia.

Ainda de acordo com o secretário, a simulação ainda não tem uma data definida porque faltam ajustes técnicos.

Apesar de não fornecer qualquer detalhe sobre as investigações, Richard Nunes afirmou que considera que a apuração do caso está avançada.

Mais de um mês após o crime, ninguém foi preso.

Um relatório elaborado pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados sobre as investigações deve ser divulgado nos próximos dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome