Um grupo formado por 24 veículos de mídia brasileiros identificará notícias falsas publicadas na internet durante as próximas eleições. O projeto chamado “Comprova” tem o objetivo de combater as chamadas fake news e conta com o suporte da universidade de Harvard (EUA).

O trabalho, que tem a participação do Google, do Facebook e do Twitter, é coordenado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo e será colocado em prática a partir de 6 de agosto, dez dias antes do início da campanha eleitoral para presidente da República, principal foco do projeto Comprova.

 

Jornalistas dos veículos participantes investigarão colaborativamente informações suspeitas, buscando evidências que comprovem ou não o conteúdo do que está circulando na rede. O desmentido só vai se tornar público se pelo menos três redações revisarem e validarem a checagem.

A informação corrigida será publicada no site do Projeto Comprova e divulgada pelas empresas jornalísticas. O Grupo Bandeirantes integra o projeto com as TVs, Band e BandNews, as rádios Bandeirantes e BandNews FM, além do jornal Metro.

Ouvintes, leitores e telespectadores que já se comunicam diariamente com os veículos poderão enviar vídeos e notícias para que sejam checados pelos nossos jornalistas. O diretor executivo de jornalismo da Band, André Luiz Costa, explica por que o Grupo Bandeirantes entrou nesse projeto: “O jornalismo da Band, historicamente, é referência na qualidade da cobertura eleitoral, na credibilidade; entra nesse projeto para fortalecer ainda mais o poder do eleitor.”

A diretora do First Draft, Claire Wardle, fala no 13º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo (Foto: Alice Vergueiro/Abraji)

Os profissionais envolvidos foram treinados pela pesquisadora britânica Claire Wardle, especialista em combater noticias falsas pela internet: “Quando nós compartilhamos algo no Facebook sem checar é como se estivéssemos jogando lixo nas ruas. Nós temos a responsabilidade, como cidadãos, de garantir que estamos andando por ruas limpas; isso significa que sempre devemos checar antes de divulgar.”

Segundo a pesquisadora, um dos maiores desafios será identificar os boatos que chegam pelo WhatsApp. O aplicativo tem mais de 120 milhões de usuários no país. Por isso o Projeto Comprova vai pedir aos brasileiros que relatem notícias suspeitas relacionadas às eleições presidenciais, para que a informação seja checada, e se necessário, corrigida.

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome