Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que pelo menos 30 milhões de animais são abandonados no Brasil, 60% deles cachorros. Adotá-los é um caminho para que eles encontrem bem-estar e ainda recebam casa, cuidados e amor.

A União Internacional Protetora dos Animais, fundada em 1895, recolhe cachorros e gatos abandonados. São cerca de 300 adoções por ano. Antes de disponibilizados para adoção, esses bichos são tratados na clínica da ONG, que também trata de animais de fora e usa o dinheiro recebido nas consultas para manter o abrigo.

A UIPA tem responsabilidade sobre os animais quando notificadas. Ou seja, a ONG pode reaver a guarda do PET em caso, por exemplo, de maus-tratos. O termo de adoção permite essa ação. Para evitar as devoluções, são feitas análises tanto da pessoa com intenção de adotar, quanto do bichano.

No quarto capítulo da série sobre animais de estimação no Brasil, os impactos do abandono e o crescimento da adoção de animais no país:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome