Battisti era considerado foragido desde dezembro (Foto: Polícia Boliviana/Divulgação)

O Presidente da República diz que Césare Battisti deve seguir direto para a Itália, mas que o voo pode fazer uma escala técnica no Brasil, caso seja necessário. Jair Bolsonaro afirma que, em reunião com ministros, decidiu ajudar as autoridades italianas a prontamente enviá-lo à Itália.

Segundo a imprensa italiana, o voo proveniente da Bolívia deve chegar à Itália por volta de 13h30 (10h30 em Brasília) desta segunda-feira (14). A agência ANSA informa que o avião partirá ainda hoje por volta de 17h (hora local, 19h em Brasília), de Santa Cruz de la Sierra e fará uma escala técnica – em local não divulgado – antes de chegar no Aeroporto de Ciampino, em Roma.

O presidente Jair Bolsonaro divulgou o comunicado no Twitter

O terrorista italiano Cesare Battisti foi preso, na noite deste sábado (12), em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Ele era considerado foragido desde o dia 14 de dezembro, quando teve a prisão determinada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux, que autorizou a extradição assinada pelo então presidente Michel Temer.

Segundo o jornal italiano Corriere della Sera, Battisti foi detido por uma equipe da Interpol, composta por autoridades italianas e bolivianas. Ele estava com uma barba falsa e portava um documento de identidade brasileiro. O Assessor Especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Filipe Garcia Martins Pereira, confirmou que em breve o terrorista será trazido ao Brasil.

O italiano será extraditado direto da Bolívia para a Itália para que possa cumprir pena de acordo com a decisão da justiça do país europeu. O governo italiano enviou um avião para a Bolívia para levá-lo. O comunicado foi feito pelo premiê italiano, Giuseppe Conte.

Cesare Battisti foi condenado a prisão perpétua no país europeu por 4 assassinatos na década de 1970, quando fazia parte do grupo de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo.

O embaixador italiano no Brasil, Antonio Bernardini, e o presidente da República, Jair Bolsonaro, comemoraram a prisão do terrorista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome