A empresa de produtos químicos responsável por uma montanha de espuma branca no Rio Tietê pode ser multada por infração ambiental. A situação observada em Salto, próximo à região metropolitana de São Paulo, foi causada pelo despejo de produtos de limpeza na água, de acordo com a Companhia Ambiental do Estado.

Segundo a Cetesb, com a chuva, o material de limpeza da Química Amparo atingiu o sistema de drenagem e seguiu para o Córrego do Ajudante, que fica na cidade. A ouvinte Rita, que visita o município todo fim de semana, afirma que está preocupada com os impactos da espuma no meio-ambiente:

Em 2014, o córrego, que corta a cidade de Salto, enfrentou o mesmo problema. Naquela época, a explicação da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo foi a falta de tratamento de esgoto. Na ocasião, foram retiradas 40 toneladas de peixes mortos.

O integrante do Conselho Superior de Meio Ambiente da Federação da Indústrias do Estado de São Paulo Julio Cerqueira César Neto explica o fenômeno:

A Cetesb afirmou que está avaliando as medidas administrativas que serão aplicadas por causa da infração ambiental.

Em nota, a Química Amparo disse que está atuando em conjunto com os órgãos responsáveis e colaborando com a análise do caso, a fim de manter o compromisso de cuidado da natureza e das pessoas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome