Dois suspeitos de participarem dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março do ano passado, foram presos, na manhã desta terça-feira (12), em operação do Ministério Público estadual do Rio de Janeiro e da Polícia Civil.

O policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz foram detidos em casa, por volta das 4h00. Segundo as investigações, Lessa é apontado como o responsável por atirar no carro em que a parlamentar estava e Vieira de Queiroz dirigia o veículo em que o atirador estava.

Eles foram denunciados pelos homicídios qualificados de Marielle Franco e Anderson Gomes e tentativa de homicídio da assessora Fernanda Chaves, que também estava no carro atingido pelos tiros. Além das prisões, os agentes cumprem mandados de busca e apreensão nos endereços dos denunciados para apreender documentos, telefones celulares, notebooks, computadores, armas, acessórios, munições e outros objetos.

A Operação Lume foi batizada em referência a uma praça no Centro do Rio, conhecida como Buraco do Lume, onde Marielle desenvolvia um projeto chamado Lume Feminista.

A família da vereadora Marielle Franco afirma que agora é preciso descobrir os mandantes do assassinato

Em entrevista à Rádio BandNews FM, a viúva da vereadora, Mônica Benício, lamenta a demora no esclarecimento do caso:

A mãe de Marielle Franco, Marinete Silva falou sobre as prisões dos suspeitos:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome