Foto: Rodolfo Stuckert/Agência Câmara/VEJA

A Câmara dos Deputados estuda atuar institucionalmente para derrubar o acordo que procuradores da Lava Jato fecharam com a Petrobras para administrar um fundo de R$ 2,5 bilhões. Além do PSOL e do PT, outros partidos já estão consultando seus próprios advogados sobre o tema. A informação é da nossa colunista Mônica Bergamo.

De acordo com a jornalista, o entendimento das legendas que defendem a atuação formal do parlamento é o de que a Lava Jato tenta criar um “estado paralelo” ao escolher as entidades que administrariam a fortuna. Os recursos, por essa visão, são públicos e deveriam ir para a União. Já a sua destinação final teria que passar pelo Congresso, que aprova o orçamento.

Ouça o comentário completo:

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome