Em entrevista à BandNews FM, o procurador Federal Deltan Dallagnol fala sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal de enviar para a Justiça Eleitoral processos da Lava Jato sobre corrupção ligados à prática de caixa 2.

O coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba afirma que a decisão do STF em repassar casos de caixa 2 investigados na Lava Jato para a Justiça Eleitoral coloca em risco todas os processos analisados até então pela Justiça Federal.

Ele também afirma que a rotatividade de juízes e promotores eleitorais pode comprometer o aprofundamento em questões de uma operação de alta complexidade, como é o caso da Lava Jato. “Não é uma questão só de estrutura, mas também de vocação.”

Deltan Dallagnol disse que advogados já estudam questões técnicas e jurídicas para defender o trabalho dos atuais procuradores envolvidos nas investigações e acredita ainda que os processos atuais serão anulados aos poucos, dentro de dois ou três anos, por promotores da Justiça Eleitoral. “O sistema é feito para não funcionar contra poderosos.”

O jurista foi entrevistado pelo apresentador Ivan Brandão, de São Paulo, e pela repórter Lenise Klenk, de Curitiba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome