Jogar sacos plásticos com água do alto de um prédio, tacar ovos em carros de outras pessoas, empurrar pessoas indefesas… Quando uma brincadeira entre adolescentes passa dos limites? Quando uma gozação vira bullying? Quando uma zoeira vira agressão, violência juvenil?

Os jovens acham que tudo não passa de farra, mas para quem é vítima a coisa não é bem assim. Mas quando começa essa distorção? As crianças de hoje quase não têm espaço para brincar ou participar de brincadeiras que estimulam a expressão de suas emoções e conflitos, não é verdade? Tudo já está pronto ou tutelado por adultos. Há pouco espaço para aprender com os erros. E a falta dessas vivências é sentida nos anos seguintes, como na adolescência.

A psicóloga Rosely Sayão indica um “antídoto” para o problema. A dica de hoje é “O Livro das Virtudes”, de William J. Bennett. As publicações, que tem dois volumes, reúnem textos de muitas épocas e muitos lugares. Mais recentemente, foram incorporadas crônicas da Língua Portuguesa que revelam as virtudes e que se adaptam ao espírito da obra. Este é um boxe para a família, para o leitor jovem ou maduro, para ser lido, relido, contado. São livros atemporais.

Até a próxima dica!

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome