Foto: Cristiano Mariz/VEJA

Especialistas em ensino e colunistas da BandNews FM avaliam que o novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, tem que dar prioridade ao processo de montagem de uma equipe técnica e qualificada, além de focar em prioridades urgentes do MEC. A posse do substituto de Ricardo Vélez Rodríguez está marcada para as 14h de hoje.

Apesar de o novo chefe do MEC não ter experiência na área da educação, o colunista da BandNews FM Fernando Schuler afirma que ser da área não é, necessariamente, a qualidade principal de um ministro. No entanto, ele considera que está na hora de a pasta deixar discussões bobas de lado e focar no que é realmente importante:

Schuler acredita que Weintraub terá que demonstrar uma grande capacidade de articulação.

Já para a colunista de política da BandNews FM Dora Kramer, a chegada de alguém com experiência em gestão não é sinônimo de melhora, mas a saída de Ricardo Vélez é um bom sinal. Ela acredita que o primeiro passo do novo ministro deve ser organizar o MEC:

O diretor de estratégia política do Todos Pela Educação, João Marcelo Borges, destaca que o novo titular do MEC assume uma pasta que passou por turbulências na gestão de Ricardo Vélez, incluindo a demissão de gestores do alto escalão. Ele enfatiza que o ministro deve ter urgência para compensar o tempo perdido nestes meses de instabilidade, que inviabilizaram a adoção de políticas e diretrizes efetivas:

O diretor de estratégia política do Todos Pela Educação lembrou que antigos ministros da Educação tiveram sucesso sem ter passado antes por cargos de administração pública na área da educação.

Weintraub ocupa atualmente o cargo de secretário-executivo da Casa Civil e fez carreira como executivo do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome