O acordo de colaboração premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, da JBS, completa 2 anos e o futuro das investigações ainda é incerto. O Supremo Tribunal Federal deve decidir até o fim do ano sobre a validade da delação e especialistas divergem quanto ao futuro das provas já produzidas.

E em meio a críticas sobre a morosidade dos processos e o próprio mecanismo da colaboração, nem mesmo o Ministério Público sabe dizer o número de investigações em curso. Joesley e Wesley já são réus por uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro:

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Como a Justiça pode fazer uma coisa dessas com a sociedade brasileira? Isso é engavetamento explícito e escancarado. Uma afronta sem precedentes na República. E o Congresso, a OAB, a Mídia ? Não abrem o bico nem para comentar, que fará questionar essa morosidade justificável somente aos olhos dos mais poderosos escalões da Justiça. Que vergonha!

  2. O fato dos irmãos continuarem a delinquir após ter feito as delações premiadas não pode ser motivo para que advogados oportunistas saiam por aí alardeando que todas as provas produzidas a até aqui sejam anuladas. ESSA TESE SÓ ENTRA NA CABEÇA DE ALGUÉM QUE TENHA A GANHAR ALGUMA COISA NESSE ABSURDO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome