A Prefeitura de Bauru, no interior de São Paulo, avalia que o pior já passou depois de a cidade viver neste ano a pior epidemia de dengue da história do município. Foram 18 mil casos da doença desde janeiro, com 17 mortes.

A situação mais grave até então envolvendo a dengue na cidade havia sido em 2015, quando oito mil pessoas contraíram a doença e seis morreram. Segundo o diretor da Divisão Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Bauru, Ezequiel dos Santos, as notificações estão em queda desde abril:

Assim como em outras cidades do interior paulista, a maioria dos casos em Bauru está relacionada ao vírus tipo dois da doença, que não circulava há muito tempo no Estado de São Paulo. Essa situação agravou o quadro de saúde daqueles que pegaram dengue, conta Ezequiel dos Santos:

Apesar das 17 mortes por dengue neste ano, a Prefeitura de Bauru diz que o índice de letalidade da doença está abaixo de um por cento e dentro das recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Em relação às demais doenças transmitidas pelo aedes aegypti, houve casos suspeitos de zika, febre amarela e chikungunha, mas nada foi confirmado após exames feitos pelo Instituto Adolfo Lutz. A administração municipal afirma que está fazendo mutirões de limpeza de focos do mosquito e que vai manter esse tipo de ação ao longo de todo o ano.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome