O Brasil é visto como um dos países com melhor participação popular em discussões de políticas públicas. Essa foi a percepção do jovem brasileiro Gustavo Maia, que esteve na primeira Assembleia da ONU-HABITAT na semana passada, em Nairóbi, no Quênia.

O evento reuniu quase quatro mil pessoas – entre autoridades, empresários, sociedade civil e ONGS – para discutir a situação de cidades de todo o mundo. O Brasil foi representado por Gustavo, fundador da start-up Colab, que faz a ponte entre cidadãos e poder público e tem apoio da ONU.

A empresa dele coletou informações sobre a percepção dos moradores em relação ao local onde vivem em mais de 100 cidades brasileiras. Os dados foram compilados em um livro, lançado durante o encontro da ONU-HABITAT. Gustavo Maia conta que os brasileiros saem na frente quando o assunto é participação popular e destacou a cidade de Niterói, no Rio de Janeiro:

 

O brasileiro Gustavo Maia apresenta o app Colab

A Assembleia da ONU-HABITAT teve como principal objetivo trazer iniciativas que mostrem a situação atual das cidades e o que pode ser feito para melhorar os cenários.  Tudo foi pautado em uma agenda em comum e traz diretrizes para orientar empresas, poder público e sociedade civil.

O foco é tornar cidades mais seguras, que promovam igualdade de gênero, construções sustentáteis e aprimoramento de áreas rurais. Na pesquisa da Colab, o item que a população pediu mais mudanças foi mobilidade urbana.

Agora, o trabalho que o Gustavo Maia fez será entregue aos prefeitos das cidades justamente para que os desejos saiam do papel e se tornem realidade:

Delegados participam do encerramento do evento. Foto: ONU-HABITAT

A ONU fixou junho como o mês de encontro anual da assembleia, a fim de avaliar os avanços e retrocessos relacionados ao tema “habitat”. O trabalho da Colab pode ser visto aqui.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome