Operação da PM para reduzir índices de criminalidade em Brasília (Foto: Andre Borges/Agência Brasília)

Um relatório do Atlas da Violência divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) coloca estados do norte com as maiores taxas de mortes violentas. Acre, Tocantins e Amazonas lideram o ranking na região.

O estado do Acre registrou uma taxa de 19,5 em 2007. Dez anos depois, esse número triplicou para 62,2 homicídios a cada 100 mil habitantes. Já o Amazonas dobrou o número de homicídios. Em 2007, o estado registrava pouco mais de 700 mortes, mas, em 10 anos, esse número chegou a mais de 1600.

O coordenador do estudo, Daniel Cerqueira, afirma que a maioria dos casos são atribuídos às facções criminosas. Em 2017, o Complexo Penitenciário Anísio Jobim em Manaus foi palco um massacre que deixou 56 detentos mortos após uma briga entre facções criminosas. Segundo Daniel, esses conflitos são comuns no sistema prisional do país.

Os países como Peru, Bolívia, Venezuela e Colômbia também fortalecem o número de casos, uma vez que a posição geográfica do Amazonas aumenta as rotas do narcotráfico.O especialista em segurança pública, Mauro Spósito, acredita que as medidas para conter os crimes devem passar pela unificação das forças de segurança pública.

Tocantins foi o segundo estado com o maior índice de homicídios com 557 na região norte, seguido de Pará, Amapá e Roraima. Na contramão da violência, Rondônia teve maior redução na taxa de mortes. O Rio Grande do Norte é o mais violento com uma taxa de 62,8 homicídios a cada 100 mil habitantes.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome