Para finalizar a sequência de reportagens sobre imigração, o Duas a Dois conversou com brasileiros que moram em Portugal, país onde a quantidade de estrangeiros em 2018 atingiu novo recorde.

Hoje, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras de Portugal divulgou novos números sobre imigração: a quantidade de brasileiros vivendo em Portugal em 2018 subiu 23,4% na comparação com o ano anterior.

Os brasileiros seguem como a maior comunidade estrangeira em Portugal, com mais de 480 mil pessoas vivendo no país. Ao mesmo tempo, as queixas por discriminação étnica e racial em Portugal também subiram: 150% em 12 meses.

Os entrevistados pelo Duas a Dois relataram diferentes situações de hostilidade: na área acadêmica, na convivência com vizinhos e na corrida por um emprego entre os próprios brasileiros.

A Andrea Zattar mora na cidade de Porto e conta que muitos dos vizinhos implicavam com coisas pequenas do cotidiano. Ela conta que decidiu mudar de condomínio porque não se sente confortável onde mora atualmente:

 

Outra situação relatada por brasileiros que vivem em Portugal é o preconceito na área acadêmica. O acordo que o Brasil fez, em 2014, com instituições de ensino para uso do ENEM fez com que aumentasse o número de estudantes no exterior.

Mas antes mesmo disso, alguns brasileiros já passavam por situações constrangedoras. A Lilian Moreira mora em Braga há 20 anos e sentia olhares tortos mesmo tendo dupla cidadania:

 

E por último um ponto interessante relatado pela paranaense Ana Tereza, que foi fazer aulas em Portugal. Ela está lá há menos de um ano e diz que há muito preconceito entre brasileiros:

 

Confira os outros capítulos:
27/06/2019 – Reforçar a diversidade traz reflexos positivos para os resultados das empresas

26/06/2019 – O tráfico de pessoas e o contrabando de migrantes no Brasil

25/06/2019 – Inclusão no mercado de trabalho e financeira são caminhos importantes no acolhimento de imigrantes

24/06/2019 – Venezuelanos se ajudam no processo de interiorização no Brasil e na Colômbia

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome