Ainda não há informações sobre o velório do advogado, sociólogo e jornalista Salomão Schvartzman. Ele morreu hoje em São Paulo aos 83 anos. Natural de Niterói, no Rio de Janeiro, Salomão nasceu em 1936. Chegou a São Paulo aos 25 anos e dizia ter se tornado um paulistano de coração. Começou a carreira como repórter no jornal O Globo e também trabalhou na Rádio Globo na década de 60. Em seguida, chefiou a sucursal paulista da Revista Manchete. Foi apresentador do programa “Frente a Frente”, da TV Manchete, durante onze anos. Na mesma emissora, era responsável pelo programa “Momento Econômico”:

Salomão também apresentava o musical “Clássicos em Manchete”, idealizado por ele e que reunia as principais orquestras sinfônicas do mundo.

Em 1977, ganhou Menção Honrosa do Prêmio Esso de Jornalismo, com a reportagem “Doca Doca: Por que mataria a mulher que amava?”, publicada na revista Manchete, sobre o caso da socialite Ângela Diniz, assassinada em 1976.

Na década de 80, se formou em Ciências Políticas e Sociais pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo.

Com o fim da Rede Manchete, em 2000, passou a trabalhar na Fundação Padre Anchieta, responsável pela TV Cultura e pelas rádios Cultura AM e FM. Por lá, ele apresentou o “Diário da Manhã” durante sete anos na Cultura FM.

Em seguida, se transferiu para a Scalla FM, de São Paulo, onde manteve o programa. Em 2013, Salomão Schvartzman retornou à Rádio Cultura, onde trabalhou até o início de junho. O jornalista ficou conhecido por sempre terminar os programas com um bordão:

Salomão Schvartzman foi conselheiro do Museu de Arte de São Paulo. Passou a atuar como colunista da rádio BandNews FM em 2008. Por aqui, ele apresentava crônicas diárias sobre temas que rodeiam o imaginário do ouvinte…

Da política ao sexo, da economia à música, do comportamento humano à poesia.

Salomão Schvartzman ainda conduziu o programa de televisão “Salomão dois pontos” no canal BandNews TV. Na Rádio Bandeirantes foi responsável pelo programa de música clássica “Sábado de Classe”, onde comentava as curiosidades de cada canção.

6 COMENTÁRIOS

  1. É um dia para ser lembrado perdemos um grande jornalista que fez as minhas noites de cheia de classe e conhecimento com seu programa Salomão: vou sentir saudades , meus sentimentos a família.

  2. Oi querido! sei que você está muito bem! a sua luz só irá brilhar em outro plano. o nosso você já deixou iluminado para a eternidade.

  3. Que pena, Lembro dele da participação dele da coluna no Band News FM. A Voz calou se pra sempre, nunca mais vai aparecer um outro igual ao Salomao

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome