A Prefeitura de São Paulo afirma que ainda não é possível atestar que os 4 moradores de rua que morreram nos últimos dias tenham sido vítimas do frio. Em entrevista à BandNews FM, no entanto, o Secretário Municipal Adjunto da Assistência e Desenvolvimento Social, Marcelo Del Bosco, afirmou que todas as mortes preocupam e que, por isso, o serviço de acolhimento de pessoas em situação de rua deve ser intensificado.

Ele respondeu a algumas críticas feitas por pessoas em situação de rua e pelo Padre Julio Lancelloti, que coordena a Pastoral do Povo de Rua, da Arquidiocese de São Paulo. Para o padre, que só na manhã desta terça-feira, atendeu a mais de 200 moradores de rua, a prefeitura erra quando dá o mesmo tratamento para uma população tão diversificada.

O secretário concorda que é preciso melhorar o serviço e garante que as equipes de atendimento estão sendo capacitadas para isso.

Hernani Costa tem 39 anos e vive nas ruas de São Paulo há quase 8. Ele reclama das condições dos abrigos e, também, da logística da prefeitura na hora de escolher para qual equipamento o morador de rua será encaminhado.

O Secretário Marcelo Del Bosco não comentou, específicamente, sobre a questão da água gelada e da falta de comida, mas garantiu que os abrigos estão sendo vistoriados e que a administração municipal pode punir as organizações que não prestarem um bom serviço.

E disse, também, que o problema da logística está sendo resolvido junto com outras pastas para garantir transporte gratuito aos moradores de rua.

Para solicitar o acolhimento de qualquer pessoa em situação de rua, basta ligar para o telefone 156. Interessados em doar roupas e mantimentos podem procurar a Secretaria de Assistência, na Rua Libero Badaró, 569 ou pelo telefone 3291-9776.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome