Hoje é o último dia para participar da primeira fase das audiências públicas que discutem o Projeto de Intervenção Urbana no Centro de São Paulo. A proposta é da Prefeitura de São Paulo e pretende aumentar a oferta de empregos, comércio e serviços na região. A reunião desta terça-feira é o terceiro encontro do tipo e tem como tema “Patrimônio Histórico e Produção Imobiliária”.

O secretário de desenvolvimento urbano de São Paulo, Fernando Chucre, diz que, até agora, a principal demanda é por moradia. Ele acredita que, com o novo projeto, será possível levar entre duzentas e trezentas mil pessoas para a região central:

Os três distritos mais populosos são Santa Cecília, República e Bela Vista. Fernando Chucre pondera que será de responsabilidade do poder público evitar o processo conhecido por ‘gentrificação’. Isso significaria valorizar a região e fazer com que os atuais moradores não consigam manter o custo de vida.

O secretário de desenvolvimento urbano dá um exemplo de como o Projeto de Intervenção Urbana evitaria esse efeito:

O mesmo projeto em discussão tem outros 33 pontos que pretendem revitalizar a região central de São Paulo. Entre eles, estão as obras no Largo do Arouche e no Vale do Anhangabaú que foram paralisadas por ordem da Justiça. Nos dois casos, órgãos municipais e associações questionam laudos de impacto ambiental e do patrimônio histórico dos locais.

O secretário Fernando Chucre diz que a Prefeitura tem seguido todos os processos previstos na legislação:

A audiência pública de amanhã será na ETEC Santa Ifigênia a partir das seis e meia da tarde. O endereço é Rua General Couto Magalhães, 145, e qualquer morador de São Paulo pode participar. A expectativa da Prefeitura é colocar em um projeto de lei os principais pontos discutidos ainda em dezembro deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome