Cena do livro “Vingadores – A cruzada das crianças”, alvo de Crivella.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu, na manhã deste domingo (08), a suspensão da ordem que permitiu a busca e a apreensão de obras com temática LGBT na Bienal do Livro no Rio de Janeiro. Uma petição foi elaborada e encaminhada ao presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Dias Toffoli.

Na manifestação, a procuradora afirma que a medida “visa impedir a censura ao livre trânsito de ideias, à livre manifestação artística e à liberdade de expressão no país”.

Ontem, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o desembargador Claudio de Mello Tavares, cassou a liminar que proibia o recolhimento de revistas com esse tipo de conteúdo, o que fez com que fiscais da Prefeitura voltassem à Bienal.

O alvo do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, era a história em quadrinhos (HQ) “Vingadores – A cruzada das crianças”, que contém uma imagem de beijo gay. Crivella alegou que a obra “tinha conteúdo sexual” e a medida visava “proteger as crianças”.

Antes da ação dos agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública, os volumes restantes do produto da editora Marvel, cerca de dez mil, foram comprados pelo influenciador digital Felipe Neto e distribuídos gratuitamente ao longo do sábado (07).

Os livros estavam em embalagens pretas e com a seguinte mensagem colada: “Este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome