(Foto: Tania Regô/Agência Brasil)

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis arrecadou 8 bilhões 915 milhões 923 mil reais em bônus com o leilão de 36 blocos de exploração e produção de petróleo e gás natural nesta sexta-feira.

Segundo a ANP, o ágio foi de 322,74%.

Não houve ofertas para Camamu-Almada e Japuípe.

Uma ação que corre na Justiça da Bahia, no entanto, colocou essas bacias sub-judice.

Com isso, o leilão ainda poderia ocorrer, mas a conclusão da operação dependeria de decisão judicial.

A ação civil pública do Ministério Público Federal pede a retirada de todos os sete blocos da costa baiana, diante da possibilidade de riscos para o parque marinho de Abrolhos.

Essas ofertas motivaram um protesto em frente ao hotel onde o leilão foi realizado, na Barra da Tijuca.

O diretor-geral da agência, Decio Oddone, comentou sobre a polêmica, afirmando que o Estado brasileiro tem responsabilidade, inclusive com o meio-ambiente.

Também não houve ofertas para a bacia Pernambuco-Paraíba.
Segundo a ANP, a 16ª rodada teve 11 empresas ofertantes, 10 delas estrangeiras.

Destas, 10 saíram vencedoras, de oito países diferentes.

Já o ministro de Minas e Energia, Bento Gonçalves comemorou a aprovação ontem a aprovação pelo Tribunal de Contas da União das regras para o leilão dos volumes excedentes.

O ministro ainda disse que o governo vai lançar até o fim do ano um programa de aprimoramento das licitações da exploração e produção do petróleo e gás Natural.

Entre os objetivos está aumentar a competitividade e a atratividade das áreas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome