A decisão do governo de São Paulo de cobrar de bares e restaurantes um imposto sobre o peixe vendido nos estabelecimentos pode fazer o preço dos pratos subir. A avaliação é da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes.

Em julho, a Secretaria da Fazenda e Planejamento de São Paulo notificou mais de mil empresários sobre a falta de pagamento da taxa desde 2015. A dívida passa de R$ 150 milhões.

A Abrasel acredita que os restaurantes japoneses serão os mais impactos pela medida. O presidente da entidade, Percival Maricato, afirma que muitos estabelecimentos não têm condições de arcar com a nova despesa:

 

O ICMS está previsto na legislação há mais de 20 anos, mas, segundo a associação, nunca foi cobrado. A regulamentação do imposto determina que a taxa incidente nas operações de peixes, de 7%, deve ocorrer na “saída do estabelecimento varejista”.

A cobrança não deve impactar apenas os bares e restaurantes. Para o diretor jurídico do Instituto ProPescado, Davi Veiga, os produtores também devem sentir os efeitos:

 

Além dos valores retroativos, o governo do Estado aplicou uma multa de 10% sobre o valor devido. A Abrasel diz que está em contato com o executivo estadual para tentar reverter a cobrança.

A recomendação da Secretaria da Fazenda e Planejamento é para que os donos dos restaurantes quitem os pagamentos em atraso. Quem foi notificado pode solicitar, até dezembro, o parcelamento do débito em até 60 vezes.

1 COMENTÁRIO

  1. É o estado fazendo sua parte na industria da desgraça nacional. Como pode tal aberração? Em pleno ano de 2019, depois de tudo que já se falou sobre a alta carga tributaria, ainda alguém vir com essa? Deveriam instaurar a pena de morte com enforcamento aquele que falar em aumento de imposto ou de criar um.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome