(Foto: Reprodução)

O aumento expressivo do valor cobrado pelo gás encanado em São Paulo continua a gerar reclamações de ouvintes da BandNews FM.

Moradores de diferentes regiões da cidade relatam que as contas estão chegando com um reajuste bem acima do anunciado pela Arsesp, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo. Em fevereiro deste ano, houve um aumento de 11% nas contas; já em maio, o acréscimo foi de 27%.

O ouvinte Joelson Duarte mora em um condomínio na zona leste de São Paulo. Ele conta que o valor que os vizinhos pagam é bem menor daquele que é cobrado na casa dele:

 

O problema também aconteceu com a ouvinte Ava Almeida. Ela mora no mesmo prédio que a mãe na zona sul da capital paulista e conta que o valor quadruplicou:

 

Ontem, você acompanhou mais reclamações de moradores questionando as cobranças.

Quem define os repasses da variação do custo e do transporte do gás é a Petrobras. A estatal passa os novos valores para a Arsesp, agência que regula o setor em São Paulo, que por sua vez autoriza a Comgás a repassá-los ao consumidor.

Em entrevista à BandNews FM, o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires, explica que os altos preços são consequência da falta de concorrência no setor:

 

A Comgás diz que o valor das cobranças é calculado pelas variações do preço do petróleo e das taxas de câmbio, além de eventuais mudanças no custo cobrado pelo transporte do produto. A concessionária afirma ainda que, no inverno, a tendência é de aumento no consumo de gás e, consequentemente, nas contas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome