(Foto: Prefeitura de São Paulo)

O Dia de Finados reuniu cerca de um milhão de pessoas para prestar homenagens no último sábado e ajudou a evidenciar uma triste realidade: o abandono dos cemitérios municipais de São Paulo.

Lápides quebradas, peças de cobre roubadas, esculturas vandalizadas, mato alto, vasos destruídos, água empoçada e até lixo acumulado são as queixas mais comuns.

Os relatos se espalham pela cidade. A ouvinte Luciane Heleno foi visitar o túmulo do pai e ficou abalada com as condições do cemitério do Araçá, no bairro do Pacaembu.

 

Perto dali, o Roberto também foi prestar homenagem ao pai e encontrou placas roubadas no cemitério São Paulo, em Pinheiros.

 

Ainda na Zona Oeste, a ouvinte Marlene conta que precisou refazer todas as placas das lápides dos parentes enterrados na Lapa.

 

Na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, a Vanessa Cavallari ficou impressionada com o cenário de abandono.

 

Na Zona Norte, a Thaís Motta encontrou até ossadas do lado de fora dos túmulos no cemitério de Santana.

 

A Prefeitura de São Paulo informou que a manutenção dos cemitérios municipais é feita por empresas contratadas. Disse ainda que a Guarda Civil Metropolitana realiza rondas diárias para combater casos de furto e vandalismo e que, neste ano, encaminhou 59 suspeitos à polícia.

]O município não respondeu se pretende adotar alguma medida após as reclamações dos frequentadores.

No mês passado, a Prefeitura lançou uma consulta pública para conceder à iniciativa privada os serviços de gestão, manutenção e exploração dos 22 cemitérios da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome