O primeiro trabalho de detetive particular de Marco Aurélio de Souza foi no início do anos 80, para resolver um caso conjugal, o tipo de trabalho mais comum para o profissional da área. “A maioria das pessoas que nos procura, quer saber se o marido, esposa, namorado está tendo uma relação extraconjugal”, conta.

Foto: Arthur Covre

Marco Aurélio entrou na carreira por influência do pai, também detetive. Inúmeras vezes, ainda adolescente, teve que acompanhá-lo em campanas pelas ruas de São Paulo. Hoje, ele é o diretor do Instituto Universal dos Detetives Particulares, uma escola que ensina os segredos da profissão, com sede na Rua 24 de Maio, na região da República, no centro da capital paulista.

Saiba a história de mais um personagem de São Paulo no quadro “Cidade em Retratos”, com o repórter Arthur Covre

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome