Foto: Fellipe Sampaio (SCO/STF)

Por 6 votos a 5, o plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu contra a validade da prisão após condenação em segunda instância. Desde 2016, a Corte mantinha o entendimento de que era possível determinar a execução da pena após o julgamento no segundo grau da Justiça. Mas ações no tribunal contestavam essa possibilidade.

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, foi responsável por desempatar o placar. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, cerca de cinco mil presos podem ser beneficiados. O Congresso prepara uma reação no sentido contrário da mudança.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Na minha opinião, os Ministros deviam mudar o discurso, ao inves de dizer, “NO MEU ENTENDIMENTO” deviam dizer “NO MEU INTERESSE” É obvio que estes que votaram EM FAVOR DA BANDIDAGEM DE COLARINHO BRANCO, devem estar com o rabo preso com alguem. Para começar, foram indicados por quem? Precisa comentar mais?
    A solução seria mudar a forma de escolher os Ministros, ao inves do Presidente indicar, que fossem escolhidos atraves de CONCURSOS PUBLICOS. Existe um Ministro que é famoso por soltar BANDIDOS, todos sabemos, esse nunca ira fazer nada em favor do povo brasileiro de bem. Sera que não ha uma maneira de expulsa-lo da Suprema Corte? Vamos deixar ele e mais alguns outros o Brasil vira uma Venezuela, Boliviia ou Cuba? Acordam brasileiros frouxos…..
    No Brasil o CRIME COMPENSA, e como compensa…..

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome