Foto: Arthur Covre

Aos 77 anos de idade, Antônio Macedo se lembra com detalhes do início da trajetória que fez dele um dos maiores pizzaiolos de São Paulo. Baiano, veio para a capital paulista no fim dos anos 50, ainda adolescente, e aprendeu a fazer pizzas em uma mercearia na Rua Pamplona. “Os italianos que eram clientes gostavam das pizzas que eu fazia e comecei assim. Fiquei lá durante um ano e nove meses”.

Após idas e vindas, Antônio retornou à Rua Pamplona, em março de 1962, para tentar um emprego de cozinheiro em um restaurante árabe chamado Camelo que, só depois, seria vendido para se tornar uma das pizzarias mais tradicionais da cidade. Para conseguir o trabalho, ele mentiu para os outros candidatos interessados na vaga. “Quando eu cheguei, os donos ainda não estavam no local. Para cada um que aparecia perguntando sobre a vaga, eu dizia que já estava preenchida”, lembra.

Antônio Macedo foi contratado. Mal sabia ele que permaneceria no mesmo restaurante por quase seis décadas. Hoje, é pizzaiolo chefe, mas ainda coloca literalmente a mão na massa quando necessário.

Ouça a história completa em mais um Cidade em Retratos com o repórter Arthur Covre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome