Barbeiro desde os 13 anos de idade, João Correia está há mais de duas décadas no mesmo endereço, na Rua Tavares Bastos, na Pompeia, zona oeste de São Paulo. Nos últimos anos, ele viu a concorrência aumentar. “Só aqui em volta, apareceram umas oito novas barbearias”, destaca.

Foto: Arthur Covre

Mas, após 60 anos cortando cabelos e fazendo barbas, ele não está preocupado. “Eu já estou na boa, né? Não abro de segunda e estou pensando em fechar às quintas-feiras também”.

A “Barbearia do João” é antiga de verdade. A única cadeira usada pelos clientes tem 74 anos, um a mais que o dono. Os azulejos da parede nunca foram trocados.

Por lá, nada de marcar hora para cortar o cabelo. É horário de chegada. Também, nada de cerveja artesanal para os clientes.

Seu João não aceita cartão. Pagamento só em dinheiro ou cheque, na base da confiança. Mas, nem tanto. “Fiado eu não aceito, não”, brinca.

Ouça mais um Cidade em Retratos com o repórter Arthur Covre.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome