(Foto: Divulgação)

As causas do acidente com um avião bimotor, que matou o piloto Mathias Robert Rom na Serra da Cantareira, em São Paulo, são apuradas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. Técnicos do Cenipa estiveram na área onde a aeronave caiu ontem e coletaram materiais para compor um laudo que ainda não tem prazo para ser concluído. O acidente aconteceu por volta de 9h da manhã, em uma área de mata fechada, na região do município de Caieiras.

O bimotor decolou de Jundiaí, no interior de São Paulo, com destino ao Aeroporto Campo de Marte, na zona norte capital. Ao se aproximar do terminal, o piloto teria sido alertado por controladores de voo de que a pista do aeroporto estava fechada por causa do mau tempo. A queda do avião aconteceu durante a viagem de retorno a Jundiaí. Os destroços indicam que aeronave explodiu com o impacto da queda.

Cerca de 30 bombeiros participaram da operação para acessar o local de difícil acesso. De acordo com o major Douglas Arrais, também foi necessário o uso de rapel por agentes que desceram de um helicóptero.

 

O corpo do piloto, que era a única pessoa abordo, foi resgatado horas depois do acidente.

O agricultor Gevaldo Ferreira, que mora há dez anos na região em que o avião caiu, conta já houve outros acidentes na serra. Segundo ele, havia muita neblina no momento em que caiu o bimotor.

 

Fabricado em 2007, o bimotor King Air, pertence ao empresário Setímio Sala, dono de uma empresa de segurança. Ele afirmou que por enquanto não vai se pronunciar sobre o acidente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome