A Justiça do Rio de Janeiro aceita a denúncia do Ministério Público contra o policial militar acusado de ter disparado o tiro que matou a menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, no Complexo do Alemão, em setembro.

Com a decisão, Rodrigo José de Matos Soares passa a ser considerado réu na ação. No entendimento da juíza Viviane Ramos Faria, o PM ainda teve cassado o direito ao porte de arma e também está afastado das ruas até o fim do processo.

Por fim, a sentença proíbe que o policial militar saia do Estado do Rio de Janeiro até o julgamento do caso. Na análise da magistrada, a pequena Ágatha morreu “por erro no uso dos meios de execução por parte do policial militar”.

A juíza afirmou ainda que, segundo testemunhas, não havia confronto na região onde a menina foi baleada, enfraquecendo a versão dos policiais de legítima defesa. Rodrigo José de Matos Soares vai responder por homicídio qualificado e, caso seja condenado, pode cumprir pena de 12 a 30 anos de prisão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome