O governo do Líbano nega que o empresário brasileiro Carlos Ghosn tenha se encontrado com o presidente do país após fugir do Japão, onde estava em prisão domiciliar.

A informação de que o ex-executivo teria sido recebido por Michel Aoun e agradecido pelo apoio do governo libanês foi divulgada pela Agência Reuters.

As autoridades do Líbano ainda disseram que não há por que entrar com ações legais contra Ghosn, já que ele ingressou no país de forma legal.

O Líbano não tem acordo de extradição com o Japão, onde o ex-executivo das montadoras Nissan e Renault enfrentava um processo em que era acusado de crimes financeiros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome