Ano novo, problemas bem velhos. Mais uma vez, a Rádio BandNews FM leva ao ar relatos de ouvintes sobre a falta de vacinas em postos de saúde. Pais afirmam que não estão encontrando a pentavalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite bacteriana.

O medicamento faz parte do Calendário Nacional de Vacinação do SUS (Sistema Único de Saúde) e deve ser aplicado em bebês aos 2, 4 e 6 meses, com reforço após um ano de idade. A vacina deve ser oferecida de graça nos postos de saúde, mas o nosso ouvinte Sérgio está em busca dela há algum tempo em diferentes bairros da capital paulista:

No Distrito Federal, o bancário Leonardo Queiroz tentou vacinar o filho durante a semana do Natal:

A BandNews FM tem noticiado a falta dessa vacina há muito tempo, em vários estados. Ouvintes de São Paulo, Amazonas, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia, por exemplo, têm enfrentado o mesmo problema desde o final do ano passado.

Em laboratórios particulares, a pentavalente pode chegar a R$ 300,00 por dose. As secretarias de saúde alegam que o Ministério da Saúde é responsável pelo fornecimento.

Procurado pela BandNews FM no final do ano passado, o órgão prometeu que o problema seria resolvido em novembro e alegou que o desabastecimento se deu após um lote ser vetado pela Anvisa.

O Brasil precisa de 800 mil doses por mês e, como não existe fabricante nacional, compra a vacina através da Organização Pan-Americana da Saúde, à Opas. Em dezembro, o Ministério anunciou ter recebido um lote com 880 mil doses, mas ainda aguarda a liberação da Anvisa para distribuir o medicamento.

Em nota enviada à BandNews FM, a Prefeitura de São Paulo confirmou que as vacinas estão paradas aguardando o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Procurado novamente, o Ministério da Saúde não se pronunciou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome