(Foto: AP Photo/Vahid Salemi)

Pelo menos 40 pessoas morrem em uma confusão durante a procissão fúnebre de Qassem Soleimani na cidade iraniana de Kerman.

A informação foi confirmada pela TV estatal do Irã. Outras 48 pessoas ficaram feridas. Não há maiores detalhes do que causou o tumulto.

Centenas de milhares de pessoas estão reunidas na cidade onde vai ocorrer ainda hoje o enterro do militar iraniano morto após um bombardeio dos Estados Unidos na última sexta-feira.

A ameaça de uma guerra nuclear em um conflito entre Estados Unidos e Irã entrou no centro do debate que envolve os ataques entre os representantes das duas nações.

Em uma reação à apreensão provocada pelo assunto, o presidente americano Donald Trump escreveu na conta dele no Twitter, em letras garrafais, que o país persa “nunca terá uma arma nuclear”. O governo do Irã comunicou que não vai mais cumprir nenhuma das restrições impostas por um acordo nuclear firmado em 2015.

O regime iraniano afirmou que não cumpriria mais as limitações de capacidade de enriquecimento de urânio, estoque de material enriquecido, pesquisa e desenvolvimento. Na última sexta-feira, o general iraniano Qassem Soleimaní foi assassinado em Bagdá por um drone americano.

Em resposta, são esperados ataques do Irã a alvos militares dos Estados Unidos no Oriente Médio. Em mensagem no Twitter, o presidente Donald Trump, disse que responderia “com toda a força” a qualquer ataque iraniano. A professora de Direito Internacional Maristela Basso, da Universidade de São Paulo, destaca que leis internacionais foram descumpridas já no início da crise.

 

A professora aponta que o conflito tende a evoluir e que o Irã também descumprirá o direito de guerra se responder ao ataque.

 

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, respondeu à ameaça feita por Donald Trump, de atingir 52 alvos iranianos se o país retaliasse a morte do general Qassem Soleimaní. Rouani escreveu que “quem se refere ao número 52 também deve se lembrar do número 290”.

O número é referente às 290 pessoas mortas, em 1988, quando um avião de uma companhia aérea iraniana foi derrubado por um míssil americano. Entre os 290 mortos estavam 66 crianças.

O presidente iraniano completa a mensagem com a frase “Nunca ameace a nação iraniana”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome