Imagem de câmera de segurança segundos após o incêndio ser provocado na Mooca.

A Polícia Civil de São Paulo afirma que já identificou o suspeito de atear fogo em morador de rua no último domingo. Carlos Roberto da Silva, de 39 anos, morreu após ficar com 70% do corpo queimado.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, uma operação foi realizada HOJE de manhã para procurar o suspeito de crime. As autoridades não divulgaram o nome do acusado, que deve ser acusado de homicídio doloso, quando há intenção de matar.

A vítima dormia, quando foi atacada, e chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu. Um dos vídeos mostra um homem vestido de preto se aproximando do morador de rua.

Ao chegar ao lado dele, o suspeito faz uma pequena fogueira e joga combustível nas chamas, provocando uma forte explosão.

Moradores da região afirmam que a vítima nunca se envolveu em brigas ou qualquer tipo de discussão:

 

Segundo a Polícia Civil, não há dúvidas de que o caso foi premeditado. Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública diz que um recipiente encontrado no local foi apreendido e encaminhado para perícia.

O delegado Daniel José Sini Almeida afirma que estão sendo analisadas todas as gravações de câmeras de segurança para tentar descobrir o autor:

 

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social diz que faz buscas 24 horas por dia para encontrar moradores de rua e oferecer acolhimento.

Em nota, a pasta também informou que dispõe de 100 veículos para transportar as pessoas para a rede socioassistencial.

E oferece 137 serviços para população em situação de rua e mais de 20 mil vagas, sendo 17.300 de acolhimento diurno e noturno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome