Presidente da China, Xi Jinping, encontrou Bolsonaro, em novembro do ano passado, em Brasília. (Foto: Alan Santos/PR)

Negócios entre empresas do Brasil e da China são adiados por causa do surto de coronavírus no país asiático. O impacto na economia brasileira ainda é estudado.

Estima-se que se a doença não for controlada até o segundo semestre deste ano, o Produto Interno Bruto (PIB) da China poderá diminuir em até 1,5%, afetando todo o mercado internacional.

Os primeiros setores impactados são os de turismo e tecnologia, que já sofreram quedas imediatas nas bolsas de valores pelo mundo.

Mais informações com o repórter Narley Resende:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome