O presidente Jair Bolsonaro disse que incluir governadores no Conselho Nacional da Amazônia “não resolveria nada”. Porém, ele ressaltou que não vai tomar decisões sobre a região sem consultá-los. Segundo Bolsonaro, ter governadores e secretários municipais no colegiado tornaria o grupo muito grande e não seria efetivo, além de gerar despesas. Ao assinar o decreto que transferiu o colegiado do Ministério do Meio Ambiente para a Vice-presidência, Bolsonaro deixou de fora os governadores da Amazônia Legal. A composição anterior do conselho, estipulada em um decreto de 1995, incluía os governadores. Integram a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome