(Foto: Reprodução)

O dia seguinte do crash de bolsas do mundo todo foi marcado por recuperação, mas também incertezas.

No Brasil, o Ibovespa fecha em alta de 7% e o dólar caiu para R$4,64 centavos. O otimismo foi gerado pelo anúncio de governos e bancos centrais de países como Japão e Estados Unidos. Eles garantiram ações para alavancar as economias em meio ao surto de coronavírus.

O presidente norte-americano, Donald Trump, prometeu cortar impostos e puxou para cima a bolsa de Nova Iorque e o preço do petróleo, que subiu 10%. No entanto, a euforia perdeu força ao longo do dia. Na Europa, as bolsas caíram depois que a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, anunciou que o país não precisa de um plano de estímulo econômico no momento.

Para o economista e ex-ministro da Fazenda, Delfim Netto, a turbulência na economia é uma oportunidade para o Brasil repensar os rumos políticos:

 

Apesar do cenário ainda ser incerto, o mercado financeiro acredita em recuperação, como já aconteceu em outras crises.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome