Ainda não existem evidências científicas suficientes sobre a relação entre o uso deste medicamento e a COVID-19. No entanto, a Diretora de Ciência,Tecnologia e Inovação da Sociedade Brasileira Cardiologia explica que o ibuprofeno deve ser evitado, porque ele  aumenta um receptor que facilitaria a entrada do vírus na célula.

A cardiologista  Ludhmila Hajjar lembra que a recomendação é preventiva.

 

Vale lembrar que existem medicamentos alternativos para tratar os sintomas de gripe como a febre e dor, entre eles o paracetamol. Mas outros medicamentos também estão ingressando nesta lista sobre o que deve ser evitado no tratamento da doença.

Ludhmila Hajjar diz que, neste momento, os corticoides não são recomendados no tratamento da COVID-19. A cardiologista  explica que isso ocorre pelo risco de comprometimento da imunidade dos pacientes infectados:

 

E aqueles medicamentos e vitaminas que estão sendo vendidos como milagrosos na prevenção da COVID -19? Como vitamina C com zinco, Própolis, vitamina D?

Diretor do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Instituto Brasileiro de Estudos Toxicológicos, Anthony Wong, reforça: nada disso adianta.

 

Até o momento, não existem medicamentos nem para tratar, nem para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. Apenas os sintomas são tratados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome