Os laboratórios brasileiros privados ou públicos não têm condições de realizar testes do novo coronavírus em massa. Segundo o infectologista Álvaro Furtado da Costa, o país ainda está iniciando a fase de aumento no número de casos da doença e já não tem mais condições de testar todos os pacientes.

O médico do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP revela que hoje nem conseguiu cadastrar amostras no site do Instituto Adolfo Lutz porque a página está fora do ar. O resultado dos exames está demorando de 4 a 6 dias, o que é considerado acima do normal, por causa da forte demanda.

 

Em entrevista à Rádio BandNews FM, Álvaro Furtado da Costa explica que os países precisam priorizar o uso de recursos e que o Brasil optou por cuidar dos doentes graves. O infectologista conta que é possível recuperar os pacientes da COVID-19, inclusive os idosos, com um bom sistema de terapia intensiva e que essa foi a estratégia adotada por aqui.

O médico reforçou o pedido para que as pessoas evitem o contato social, incluindo os jovens, e que intensifiquem a higienização de superfícies como maçanetas e teclados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome