Foto: Alexandros Avramidis/Reuters

As pessoas com mais de 60 anos ainda são a principal preocupação do combate ao novo coronavírus no momento. A recomendação é para que essa faixa-etária não saia de casa e fique totalmente em isolamento domiciliar.

A médica especialista em Geriatria pela Universidade Federal de São Paulo Maisa Kairalla explica que, nas outras epidemias, a incidência de casos envolvendo os idosos também é maior. Em entrevista à Rádio BandNews FM, a Drª Maisa Kairalla conta que a imunidade do corpo humano começa a cair depois dos 30 anos de idade. No entanto, a situação se agrava entre 60 e 65 anos.

Segundo a presidente da Comissão de Imunização da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, a preocupação no Brasil deve ser maior a partir de abril. Cada doente pode contaminar, em média, até três pessoas e o vírus tem capacidade de permanecer nas superfícies.

De acordo com a médica Maisa Kairalla, a média de permanência do idoso na UTI é de 15 dias e o Brasil não tem leitos para atender essa demanda. A especialista em Geriatria pela UNIFESP destaca que, na Itália, 25% da população com 90 anos morreu.

A médica alerta ainda que é fundamental os idosos participarem da campanha de vacina que começa amanhã em todo o Brasil. Isto servirá para evitar que os mais velhos fiquem doentes, por exemplo, com duas infecções ao mesmo tempo.

Confira a entrevista na íntegra:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome