O novo coronavírus adquire características singulares no Brasil após um mês do primeiro caso confirmado no país.
Cientistas têm feito um trabalho de mapeamento que recebe o nome de vigilância genômica viral para saber como a Covid-19 tem se comportado entre os brasileiros.
Ana Tereza Vasconcelos é coordenadora do Laboratório de Bioinformática do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis, é uma das autoras do trabalho.
Em entrevista à BandNews FM, ela diz que o vírus entrou no Brasil, principalmente, vindo de países europeus. 
 
Poucos casos vieram da China.
Segundo a coordenadora, quando um vírus passa de um continente para outro, há singularidades, assim como quando entra em um país.
O trabalho é compreender como ele vai se dispersar pelas regiões e a característica que terá.
O clima também é um fator de mutação para o coronavírus. 
Na Itália, por exemplo, ele se espalhou durante o inverno. Ao contrário do Brasil, que saiu do verão no último fim de semana. 
Ana Tereza Vasconcelos aponta que, por isso, é importante continuar com o sequenciamento.
Os resultados dos estudos vão ser usados imediatamente por profissionais que trabalham com o desenvolvimento de testes para diagnósticos e vacinas.
Confira a entrevista completa:

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome