A investigação que apura fraudes cometidas pelo homem apontado como operador de propinas do PSDB, ex-diretor da Dersa Paulo Preto, acaba de respingar no sucessor dele.

A Justiça pediu ao Ministério Público Federal que apure a informação de que Pedro da Silva ajudou Paulo Vieira de Souza a obter documentos internos da estatal de desenvolvimento rodoviário, mantidos sob sigilo.

Os papéis, segundo o próprio Paulo Preto, estão relacionados a desapropriações do Rodoanel e serviriam para montar a defesa dele na denúncia oferecida pelo MPF.

Preso, Paulo Vieira de Souza, por enquanto, descarta qualquer chance de negociar um acordo de delação premiada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome