Preso no Complexo Médico Penal, em Pinhais, o ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada é um dos réus da Lava Jato insatisfeitos com o uso de algemas nas mãos e nos pés para movimentações internas.

A medida vem sendo utilizada na realização de exames, fisioterapia e consultas no hospital penitenciário, que fica do outro lado da rua da galeria 6, mas ainda dentro da unidade.

Recorrente no passado, o uso de algemas voltou a ser adotado na semana passada e, por isso, boa parte dos detentos tem se recusado a fazer os deslocamentos.

Câmara dos Deputados

1 COMENTÁRIO

  1. Se são regras vigentes, presos não têm direito a reclamar, foram julgados e condenados.
    Todo e qualquer cidadão que tenha passado por estas fases (julgamento e condenação) têm suspensos seus direitos civis, assim não são considerados cidadãos durante o seu período condenatorio.
    Apesar de ocorrências anormais, quem não possa ser reconhecido como cidadão tem seus direitos de eleger, ser eleito ou mesmo de exercer qualquer cargo eletivo suspenso.
    Este é o meu entendimento das nossas leis, mesmo que o legislativo tenha aditado com dispositivos de auto-proteção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu comentário!
Por favor, informe seu nome